WhatsApp
49 9 9964.1833
Comunidade, Geral, Saúde - 12 Jul 2018 08:38

Ações do Programa de Combate a Dengue reduzem focos do Aedes aegypti em Xanxerê

Por: Redação
Visualizações: 151
Ações do Programa de Combate a Dengue reduzem focos do Aedes aegypti em Xanxerê (Foto: Arquivo/Tudo Sobre Xanxerê)

A equipe da Vigilância Entomológica através do Programa de Combate a Dengue da Secretaria Municipal de Saúde de Xanxerê tem atuado de forma intensa, especialmente orientando a população para os cuidados que necessitam ter a fim de evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, a febra de chikungunya e zika vírus. Conforme Boletim Epidemiológico da Diretoria de Vigilância do Estado (Dive), Xanxerê é considerado médio risco na situação dos municípios, segundo Índice de Infestação Predial.

De acordo com dados da Dive pelo Boletim Epidemiológico, com as ações desenvolvidas pelas agentes epidemiológicas de forma estratégica nos bairros, centro e pontos onde há armadilhas – até o mês de junho de 2018 – foram contabilizados 383 focos do Aedes. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, em 2017 (de janeiro a junho), foram contabilizados 655 focos. Ou seja, com as ações, foi apresentada uma redução de 40% dos focos.

Conforme dados do Programa Vigilantes da Dive, em 2015 Xanxerê teve 520 focos, ficando em quarto lugar no Estado entre os municípios infestados e considerado alto risco. Em 2016, foram 720 focos, estando na segunda colocação e, seguia com alto risco. Já em 2017, foram 850 focos, novamente em segundo lugar no Estado. E, até o primeiro semestre de 2018, Xanxerê contabiliza 383 focos, caindo para décimo lugar na lista dos municípios infestados em Santa Catarina e, considerado médio risco.

A coordenadora do programa Márcia Puccini Vieira, ressalta que a redução nos índices de focos se deve as medidas e estratégias tomadas no setor de armadilhas e pontos estratégicos da Vigilância Entolomógica, bem como no envolvimento da comunidade quanto aos cuidados e olhar mais atento para possíveis criadouros do mosquito.

- Xanxerê, segundo dados epidemiológicos no ano de 2018 passa a ser considerado município de médio risco de infestação. Importante ressaltar que a região Oeste do Estado, segundo Boletim da Dive, quase em sua totalidade é considerada infestada pelo Aedes aegypti – explica.

Márcia reforça a importância da comunidade em manter os cuidados, auxiliando no combate ao mosquito para que Xanxerê a cada ano possa reduzir os focos e não figurar entre os índices de infestação no Estado.

Para dar continuidade ao trabalho, a coordenação da Vigilância Entomológica de Xanxerê realiza, nesta sexta-feira (13), às 8 horas no auditório do centro administrativo, uma reunião para tratar sobre a Sala de Situação do Programa de Combate a Dengue, a fim de intensificar as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.


Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti

- Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

- Guarde garrafas com gargalo virado para baixo;

- Mantenha lixeiras tampadas;

- Deixe os depósitos de água sempre vedados, sem qualquer abertura;

- Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

- Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

- Mantenha ralos fechados e desentupidos;

- Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

- Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito;

- Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria de Saúde;

- Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika, procure uma unidade de saúde.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Xanxerê.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar