Aumento do ICMS: deputado do Oeste fala sobre impacto negativo na cadeia produtiva - Notícias - Tudo Sobre Xanxerê
WhatsApp
49 9 9920.1584
Agricultura, Economia, Política - 01 Ago 2019 17:16

Aumento do ICMS: deputado do Oeste fala sobre impacto negativo na cadeia produtiva

Por: Aline Tonello
Visualizações: 305
Aumento do ICMS: deputado do Oeste fala sobre impacto negativo na cadeia produtiva (Foto: Assessoria de Comunicação)

Entraram em vigor nesta quinta-feira (1º) decretos que reduzem incentivos fiscais e aumentam alíquota do ICMS para vários produtos em Santa Catarina. Organizações ligadas à cadeia produtiva catarinense tem se manifestado contra a decisão do Governo do Estado, alegando que o encarecimento de produtos e serviços aqui pode fazer com que SC perca competitividade em relação aos outros estados do país. Em Xanxerê hoje para encontro do Partido Progressista (PP), o deputado estadual Altair Silva, da bancada do Oeste, conversou com a reportagem do Tudo Sobre Xanxerê sobre o impacto disso na cadeia produtiva.

Silva, que afirma que a bancada dos deputados do Oeste trabalha para fortalecer a economia catarinense, diz que assim que a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) retomar os trabalhos na próxima semana, um dos focos será a realização de tratativas com o Governo do Estado para que o aumento do ICMS seja repensado.

- Eu tenho trabalhado muito para ajudar o governo, eu quero que o Governo do Estado vá bem. Agora, temos que ajudar o governo e os catarinenses a irem bem, e essa decisão não foi a melhor escolha, mas eu acredito na sensibilidade do governador Carlos Moisés e do secretário Paulo Eli e nós, na próxima semana, na Assembleia, vamos retomar essa negociação – disse.

Deputado estadual esteve na redação do Tudo Sobre Xanxerê na tarde desta quinta-feira (1º) (Foto: Assessoria de Comunicação)Deputado estadual esteve na redação do Tudo Sobre Xanxerê na tarde desta quinta-feira (1º) (Foto: Assessoria de Comunicação)

A principal manifestação do deputado - e também de Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) e da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc) – é contra a medida que tributa em 17% os insumos agrícolas. Isso porque o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) prorrogou para 30 de abril de 2020 o Convênio 100/1997, que reduz a base de cálculo do ICMS sobre a comercialização de insumos agropecuários, mantendo o ICMS em 4,8%. Com Paraná e Rio Grande do Sul seguindo o convênio e SC não, o estado perde a competitividade e o reflexo será negativo para todo o setor.

- Vai ficar mais barato para o produtor comprar os insumos agrícolas no RS e no PR, e as casas agropecuárias, cooperativas, agrônomos, técnicos agrícolas que atuam nesse setor vão perder totalmente a competitividade. Eu defendo claramente que esse convênio deve ser prorrogado em SC, que nós devemos trabalhar com a mesma alíquota dos três estados do Sul do Brasil, porque temos uma economia muito similar. Agora, a medida que você vai tirando incentivo, para produzirmos milho vai ficar mais caro, vai tirar poder de competitividade da agroindústria e da economia como um todo. Então nós vamos atuar fortemente contra isso – finalizou.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Xanxerê.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar