WhatsApp
49 9 9964.1833
Publicidade
Comunidade - 18 Mai 2017 12:02

Descaso: sem apoio financeiro, ONG não tem previsão de retomar atividades

Por: Aline Tonello
Visualizações: 2295
Descaso: sem apoio financeiro, ONG não tem previsão de retomar atividades (Fotos: Arquivo/Tudo Sobre Xanxerê)

O Grupo de Bem Estar Animal de Xanxerê sempre necessitou da parceria da comunidade para realizar seu trabalho, amparando animais abandonados e doentes. A organização sempre deixou claro que precisava de parcerias com o poder público, empresas e de doações para continuar em funcionamento, uma vez que os recursos arrecadados em eventos não são o suficiente para atender à demanda de pedidos de socorro. Em fevereiro deste ano, o grupo divulgou uma nota informando a suspensão dos trabalhos devido à delicada condição econômica em que se encontra. Desde então apenas algumas ações ainda são realizadas e a ONG segue aguardando um posicionamento por parte do poder público na esperança de que os trabalhos possam ser retomados o mais rápido possível.

Atualmente o grupo ainda realiza palestras de conscientização contra maus tratos e abandono de animais nas escolas e divulga em sua página no Facebook os animais que precisam de uma adoção responsável. Alguns pedidos de socorro em relação a animais machucados são atendidos quando a organização recebe o repasse de medicamentos por parte de parceiros, mas a maioria dos chamados não são atendidos porque o Bem Estar Animal não tem mais condições financeiras.

- As famílias para as quais nós prestávamos apoio com o repasse de ração estão desesperadas, muitas até acabam se revoltando com a gente, mas nós não temos mais o que fazer. Quem a gente ajudava está sem atendimento. Estamos fechando os olhos para muitos casos que chegam até nós porque a gente sabe da situação, mas não tem mais condição financeira e nem psicológica de arcar com todos os pedidos. É muito triste – afirma Patrícia Fagundes, membro do Grupo de Bem Estar Animal.

Segundo ela, cerca de trinta famílias acolhedoras de animais abandonados estão desamparadas, o que contabiliza mais de 150 animais sem ração e cuidados.

Mutirão de castração

Entretanto, o que mais preocupa o grupo é a procriação desses cães e gatos, que aumenta a cada dia e que, sem um programa de castração em massa, não tem como ser resolvido.

- Nós tínhamos a intenção de fazer um mutirão de castração no início desse ano, mas só conseguimos arrecadar R$ 4 mil com a venda dos calendários e com a realização do brechó. Como os parceiros para castração aqui no município são poucos, conseguimos castrar apenas 30 animais em locais de mais risco, o que não é nada comparado à quantidade de bicho que tem nas ruas e que estão procriando. Até que não for feito um plano urgente, uma parceria para castração e controle de nascimento desses animais, os problemas da cidade não vão ser resolvidos e a gente está sempre cobrando isso do poder público – explica.

Parcerias
Até cerca de dois anos atrás, o Grupo de Bem Estar Animal recebia uma subvenção de R$ 5 mil por parte da administração municipal e que ajudava na manutenção dos trabalhos.

- Quando a gente foi na prefeitura falar com eles no início do ano, eles disseram que estava sendo criada uma comissão de controle de zoonoses e que iria resolver o problema, e até hoje não ouvimos mais falar no assunto. A Câmara de Vereadores sempre esteve a par das nossas dificuldades, recentemente fomos chamados para falar sobre a nossa situação e o que pode ser feito. Quanto ao Ministério Público, nós tínhamos contato com a Dra. Elaine, principalmente quanto ao caso dos carroceiros, ela tinha até dado um prazo de um ano para a administração buscar uma forma de resolver o problema, mas até agora nada. Ela saiu, entrou outra promotora, tudo continuou na mesma e, agora, tem outro promotor com quem vamos nos reunir e ver como anda esse processo – comenta Patrícia.

Apenas cinco membros continuam ativos no Grupo de Bem Estar Animal e Sandra Inês é um deles. Ela comenta que fica revoltada quando ouve autoridades falarem que desconheciam até o momento as dificuldades pelas quais passa a organização.

- Se eles não têm conhecimento é porque nunca se interessaram pela causa, não é por falta de noticiar. Sem falar que já estamos cansados de bater em tantas portas por diversas vezes e ninguém fazer nada, as coisas continuam se agravando e sem solução – destaca.

Em contato com a assessoria jurídica da Prefeitura de Xanxerê, o TUDOSOBREXANXERÊ.com.br foi informado de que existiu um convênio para castrações de animais, com o grupo Bem Estar Animal, mas que encerrou por conta de curso do prazo. Porém, o município precisa implantar um programa de controle de zoonose, que deve atender não somente as castrações, mas também realizar o recolhimento de animais, atendimentos clínicos diversos como controle de doenças e pragas. Os trâmites nesse sentido estão em encaminhamento. Quanto ao processo por quebra de convênio, a assessoria jurídica afirma que não tem conhecimento.

- O caso é que nossas atividades estão suspensas por tempo indeterminado e, na situação que o município de encontra hoje, com tantos animais na rua e se reproduzindo, só um convênio de repasse de recursos não é suficiente. Nós precisamos que o poder público tome providência, que realize parcerias para castração em massa, para controle de zoonoses para daí sim nosso trabalho ser mais eficiente. Se isso não acontecer, a gente não tem mais o que fazer – finaliza Patrícia.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Xanxerê.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar