Especialista dá dicas sobre o uso do protetor solar - Notícias - Tudo Sobre Xanxerê
WhatsApp
49 9 9920.1584
Saúde, Verão - 05 Mar 2019 14:34

Especialista dá dicas sobre o uso do protetor solar

Por: Francieli Corrêa
Visualizações: 931
Especialista dá dicas sobre o uso do protetor solar Dermatologista Luciana Gauer (Foto: Arquivo/Tudo Sobre Xanxerê)

Com a chegada do verão, a exposição ao sol - intencional ou não - aumenta e, com isso, os cuidados com a proteção da pele devem ser redobrados. Para se proteger contra os raios ultravioleta é possível recorrer ao uso e chapéus, bonés, roupas adequadas e, claro, ao uso de filtro solar. Esses cuidados são essenciais na prevenção de danos, como o envelhecimento precoce, as manchas e os canceres de pele. Para falar sobre o benefícios e orientações a respeito do uso desse dermocosmético, conversamos com a dermatologista de Xanxerê, Dra. Luciana Gauer.

Umas das orientações passadas por ela é que o uso do protetor solar deve ser um hábito, principalmente quando vai haver exposição ao sol, mesmo que seja por pouco tempo. É importante lembrar também que chapéus e qualquer outro tipo de proteção física não substitui a aplicação do filtro e vice-versa, eles se complementam e por isso deve-se fazer uso de mais de uma forma de proteção.

- Precisamos lembrar que o protetor solar é importante, mas é uma das estratégias que a gente usa para diminuir os danos da radiação na pele. Tem que lembrar que sozinho ele não vai poder evitar todo o dano. Por isso, é preciso lembrar que nos horários em que o sol é mais forte é importante usar um chapéu, roupas adequadas e óculos de sol. Tem que lembrar, também, que o protetor tem que ser reaplicado, mais ou menos a cada duas horas, quando estamos expostos diretamente ao sol, como quando estamos na praia ou fazendo um esporte ao ar livre, quando suamos ou entramos na água – salienta.

Variedade de produtos no mercado
Ainda segundo Gauer, principalmente no verão, é recomendado optar por um fator de proteção a partir de 30 e que seja amplo espectro. Geralmente, tais informações vêm descritas nos rótulos.

- A gente pede que os protetores sejam de amplo espectro, ou seja, que protejam contra a radiação ultravioleta A e a radiação ultravioleta B. A proteção contra a ultravioleta A (que é a principal responsável pelo envelhecimento precoce) vemos através do PPD, que mede a proteção que esse protetor vai ter em relação a essa radiação. E o FPS vai tratar da radiação ultravioleta B, que é o principal causador do câncer de pele e da queimadura solar - explica a dermatologista.

Hoje a variedade de marcas e tipos do produto é bem grande, mas o preço ainda não é tão acessível. Mesmo assim, ainda é bastante consumido pelos brasileiros. As fórmulas melhoraram muito de uns anos para cá, sendo ofertados protetores com cosméticas muito boas, menos pesadas e adequáveis a variados tipos de pele - desde seca a oleosa.  Para os adultos é possível encontrar em creme, gel, fluido, gel creme e efeitos mate, por exemplo. Para a escolha vai depender o tipo de pele, vale lembrar que os brasileiros costumam ter a pele do rosto mais oleosa do que a do corpo e neste caso é recomendado utilizar produtos diferentes, que se adaptem melhor a cada tipo de pele.

- Isso não é muito prático, mas é como deveria funcionar. Nem sempre a gente pode usar o protetor do corpo no rosto. O do rosto até não tem problema em usar no corpo, porém se a pele do corpo é muito seca, pode ser que fique mais seca ainda. Mas o ideal seria adequar um para o rosto e outro para o corpo.  Tem também os pacientes que têm a pele do rosto com tendência ou já tem acne, esses precisam procurar produtos livres de óleo ou de efeito mate – salienta Gauer.

Para pessoas que têm a pele muito branca, manchada, fotodanificada, lesionada ou que já tem um problema específico, são recomendados filtros solares com fatores de proteção maiores que 30. Além disso, a dermatologista lembra que o filtro solar não evita a exposição ao sol, ele apenas diminui a incidência e o dano. Por isso, deve-se usá-lo associado a outras formas de proteção e procurar não se expor ao sol nos horários entre 10 e 16 horas.

(Foto: rawpixel/unsplash)(Foto: rawpixel/unsplash)

Protetor adequado para as crianças
De acordo com a dermatologista, bebês menores de seis meses de idade não devem usar protetor solar. A partir dessa idade é recomendado o uso de protetor solar especifico para a pele delas. Esses produtos têm mais protetor físico do que químico e são mais difíceis de espalhar e mais grudentos, mas são os indicados para a pele infantil.

Protetores com cor
Uma das opções que o mercado oferece hoje são os filtros solares com pigmento ou bases que possuem fator de proteção. De acordo com a dermatologista, esses produtos são bem úteis e recomendáveis.

- São muito indicados também, porque além de ter a proteção solar, ainda tem o filtro físico da base. Que como é uma cor, também vai diminuir a ação da radiação na pele. São chamados de protetores duplos da pele. Para pessoas que têm melasma ou a pele muito manchada, esses são os mais indicados, porque eles protegem por causa da cor da base. A dificuldade é encontrar uma cor que se adapte melhor à pele – comenta.

Bronzeamento
Algo comum no verão é buscar as famosas marquinhas deixadas pelo bronzeamento. No entanto a exposição por longos períodos ao sol e sem proteção não são recomentadas pelos dermatologistas. Luciana Gauer explica que a alteração de pigmento da pele é uma reação dela própria para se proteger dos danos causados pelo sol.

- O bronzeamento nada mais é do que uma capacidade de proteção do nosso organismo ao meio, de se adaptar ao meio. Quando a radiação começa a danificar o núcleo da célula da pele, essa célula manda uma informação para o melanócito, que produz a melanina (pigmento), e ele vai produzir esse pigmento e vai depositar sobre a pele. Como se fosse um chapéu de proteção, isso é o bronzeado – explica.

Ainda segundo ela, algumas pessoas conseguem se bronzear mesmo utilizando protetor solar e não se expondo intencionalmente ao sol, visto que o filtro dólar não consegue proteger totalmente a pele dos raios ultravioleta. Ela também orienta que não é preciso abrir mão de pegar sol, mas é preciso ficar atento ao limite e fazer da forma mais saudável possível.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Xanxerê.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar