WhatsApp
49 9 9964.1833
Tornado em Xanxerê, Comunidade - 20 Abr 2016 17:20

Municípios do Oeste catarinense relembram um ano do tornado

Por: Carol Debiasi
Visualizações: 1415
Municípios do Oeste catarinense relembram um ano do tornado Defesa Civil explana dados do tornado que passou por Xanxerê e Ponte Serrada (Foto: Defesa Civil)

Nesta quarta-feira (20) completa um ano do tornado que atingiu Xanxerê e Ponte Serrada. A Defesa Civil do Estado relembra o fato pelos trabalhos desenvolvidos nos municípios. Em Xanxerê a Defesa Civil possui uma coordenadoria regional – Coredec. O responsável pelos trabalhos, Luciano Peri, se empenhou para auxiliar o município na gestão de uma crise, até então desconhecida pela população local. Peri recebeu reforço de pelo menos cinco coordenadores regionais que atuam em Santa Catarina, de Canoinhas, Edson Antocheski, Curitibanos, Adriano Roper, Joaçaba, Adair Flamia, Maravilha, Rogério Golin, Chapecó, Clair Bazi.

O secretário-adjunto de Estado, Rodrigo Moratelli também se instalou na cidade para auxiliar nos trabalhos. O primeiro passo foi socorrer os atingidos, levantar número de feridos, relatar volume de mortos. Os dados demonstraram que o trajeto do tornado, afetou sete bairros do município. O evento foi registrado depois das 15h, a velocidade do vento estimada é superior a 250 quilômetros por hora, que é referenciada a um tornado de escala F2. O poder de destruição foi sentido poucos minutos depois da passagem do fenômeno.

Mais de 100 pessoas ficaram feridas, 04 morreram. Os registros apontam 539 desabrigados e 4.275 desalojados. O levantamento apontou 09 prédios públicos danificados ou destruídos, 38 empresas e 2.188 residências particulares foram atingidas. Dessas, 235 imóveis foram totalmente destruídos. O volume de danificadas foi de 360 e mais de 1, 5 mil com problemas estruturais devido a velocidade do vento.

Já o município vizinho, Ponte Serrada que também foi afetado pelo tornado do Oeste, registrou 77 pessoas desabrigadas, 1.050 desalojadas, 27 feridos, uma edificação pública danificada, 252 residências e 31 empresas afetadas. A Defesa Civil contabilizou 24 casas totalmente destruídas, 148 parciais e 180 com danos nas coberturas.


Prejuízos Econômicos
Xanxerê:
R$ 49,5 milhões em residências. Os danos superaram os R$ 45,3 milhões em empresas locais. Já as edificações públicas tiveram prejuízos financeiros de quase R$ 10 milhões.

Ponte Serrada:
Em relação aos prejuízos econômicos, foram R$ 885 mil em edificações públicas e pouco mais de R$ 8,1 milhões em residências e empresas.


Reconstrução
A Defesa Civil do Estado cobrou auxílio da União e o governo federal ajudou na aquisição das casas modulares. O Estado arcou com a construção de 3 unidades habitacionais em Xanxerê. O volume de investimento, de Santa Catarina, através do Fundo Estadual da Defesa Civil foi de aproximadamente R$ 130 mil.

O restante das 39 unidades de Xanxerê, foram erguidas com recursos da União. Em Ponte Serrada foram 24 disponibilizadas. A Defesa Civil liberou imediatamente para Xanxerê, mais de R$ 100 mil para reabilitação. Os recursos são do Fundec e utilizados na aquisição de óleo diesel para retomada das funcionalidades normais da cidade. A previsão era de mais de 70 unidades para Xanxerê, mas algumas famílias desistiram do projeto cedido pelo governo.

Uma equipe da gerência de logística da Defesa Civil do Estado também atuou na liberação de itens de assistência humanitária. Foram distribuídos: Telhas: 58 mil (6mm), 3 mil (5mm), 11,2 mil (4mm), Parafusos de telhas: 86,9 mil, Pregos para telhas: 100 mil, Madeira: 8. 622 mil unidades, Kit de acomodação: 540 unidades, Colchões solteiro: 300 unidades, Cestas básicas: 300 unidades, Água mineral (5litros): 01 mil galões, Kits de limpeza: 144

Em abril quando o Estado sofreu com o episódio de um dos tornados mais severos, registrados em perímetro urbano e que, atingiu Ponte Serrada e Xanxerê, a Defesa Civil do Estado destinou aos flagelados 263.282 mil itens de assistência humanitária. Entre eles foram doados mais de 90 mil telhas, 550 cestas básicas, e mais de 56 mil metros lineares de madeira de pinus, apenas para esses dois municípios.

Para se ter uma ideia da distribuição desses itens, a Defesa Civil de Santa Catarina destinou 105.600 mil telhas de 4mm, quês custara ao Fundec,mais de R$ 1 milhão. Foram 4 mil telhas de 5 mm, onde o investimento superou os R$ 118 mil e 80.162 mil telhas de 6mm, onde os recursos aplicados são de aproximadamente R$ 3 milhões.


Força tarefa que trabalhou na reabilitação
O tornado que atingiu os municípios de Xanxerê, Ponte Serrada e que teve como consequência uma influência de ventos fortes em Passos Maia, exigiu uma força tarefa de dezenas instituições governamentais e entidades, centenas de veículos oficiais para realizar o atendimento emergencial e milhares de profissionais que trabalham diuturnamente no atendimento aos flagelados.

Conforme o relatório produzido pela Defesa Civil do Estado, entre os profissionais que atuam nos dois municípios chegam a 1273 profissionais e 252 veículos utilizados na execução dos trabalhos desse primeiro momento. Nenhum desses dados conta com o trabalho de voluntários e entidades filantrópicas que auxiliaram no socorro, reabilitação física e emocional dos atingidos. (Fonte: Defesa Civil)


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Xanxerê.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar