WhatsApp
49 9 9964.1833
Agricultura, Comunidade, Economia, Polícia, Política, Rural, Saúde - 29 Mar 2017 11:37

Presidente da Cidasc visita Xanxerê para expor os prejuízos após a operação da PF

Por: Carol Debiasi
Visualizações: 543
Presidente da Cidasc visita Xanxerê para expor os prejuízos após a operação da PF (Foto: Divulgação)

O presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Enori Barbieri está em Xanxerê nesta quarta-feira (29) para um encontro com os prefeitos da Amai a partir desta tarde. O principal objetivo é tratar sobre a operação da Carne Fraca, realizada pela Polícia Federal, e seus percalços no decorrer desses últimos dias, bem como mostrar que Santa Catarina é um estado de referência em inspeção animal.

Barbieri, em entrevista a Rádio Princesa, foi categórico em dizer que os prejuízos chegam aos R$ 50 bilhões, além do que foi perdido na bolsa de valores. São aproximadamente 120 países que importam carnes de Santa Catarina e que esse problema vai se estender possivelmente até a metade do ano. O presidente destaca ainda que os maiores importadores, que são países asiáticos, entenderam a situação e que passaram a novamente comprar os produtos catarinenses.

- O pedido do governador é que desde que deflagraram essa operação é para esclarecer à sociedade sobre as condições da qualidade da carne, porque foi uma inverdade o que se falou, afinal de contas Santa Catarina é o melhor estado do Brasil em sanidade e de inspeção de carne, não temos em nenhum estabelecimento que não tenha um profissional médico veterinário fazendo a sua parte na inspeção, então não há motivos para alguém temer pela qualidade das carnes – explica Barbieri.

O presidente destaca que são cerca de 30 anos que não se tem casos de saúde pública envolvendo carnes carimbadas de inspeção. Segundo ele, se os problemas são corrupção, desvio de conduta de pessoas e das próprias empresas, que se apure com muita transparência e que os envolvidos sejam punidos.

- O que é podre não é a carne, é a operação que deveria tratar caso de polícia pontual e não dá questão sanitária que deixou primeiramente todo mundo em pânico. O governador nos pediu para que procurássemos mostrar à sociedade essa realidade, ele está bastante preocupado também com os empregos que começa a ter problema, com as agroindústrias que começam a ter dificuldades de mercado e a parte econômica, que essa é inevitável e os prejuízos já começaram a aparecer – frisa,

Além dos problemas econômicos com a exportação da carne, o presidente da Cidasc salienta que os reflexos também estão na cadeia produtiva como um todo, que vai desde o pequeno produtor até o consumidor final.

- As empresas perderam de valores na bolsa em torno R$ 10 bilhões, mas já temos reflexos de algumas demissões, os alimentos para esses animais já baixou R$ 3,00 a saca de 60kg, a soja já baixou R$ 4,00 então isso é prejuízo para a cadeia produtiva. Nós vamos passar o período de problemas econômicos, de demora para alojar frango, suínos que não vai para o abate da hora, que a carne bovina vai cair o preço de mercado, então a nossa análise é que vamos ter problemas econômicos até a metade do ano – explica Barbieri.

O presidente finaliza ressaltando que a Cidasc tem todo o controle de produção dos animais, desde os abatedouros com acompanhamento de médicos veterinários.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Xanxerê.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar