WhatsApp
49 9 9964.1833
Saúde - 06 Ago 2017 09:32

Xanxerê registra quase 700 focos do Aedes aegypti no primeiro semestre

Por: Aline Tonello
Visualizações: 274
Xanxerê registra quase 700 focos do Aedes aegypti no primeiro semestre (Foto: Divulgação)

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) divulgou, na última semana, um boletim sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti e da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em todo o estado. Os dados compreendem o período de 1º de janeiro a 15 de julho deste ano. Conforme o relatório, Xanxerê é um dos 60 municípios considerados infestados pelo mosquito e já contabiliza quase 700 focos em 2017.

Segundo o boletim, de janeiro a julho desse ano foram identificados 8.026 focos do Aedes aegypti em 137 municípios. Neste mesmo período, em 2016, haviam sido identificados 6.095 focos em 131 municípios, sendo o número de focos de 2017 é 24% maior quando comparado ao mesmo período do ano de 2016.

Municípios considerados infestados por focos de Aedes aegypti (Fonte: DIVE/SC)Municípios considerados infestados por focos de Aedes aegypti (Fonte: DIVE/SC)

Quanto à dengue, nesse período foram notificados 1.808 casos da doença em Santa Catarina. Desses, nove (1%) foram confirmados (todos pelo critério laboratorial), 127 (7%) estão inconclusivos (classificação utilizada no SINAN nos casos em que, após 60 dias da data de notificação, ainda estiverem sem encerramento da investigação), 1.617 (89%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 55 (3%) casos suspeitos estão em investigação pelos municípios. Do total de casos confirmados até o momento, um é autóctone, com transmissão dentro de Santa Catarina, cinco são importados (transmissão fora do estado) e três permanecem em investigação de Local Provável de Infecção (LPI).

Na comparação com o mesmo período de 2016, quando foram notificados 12.816 casos, observa-se uma redução de 86% na notificação de casos em 2017 (1.808 casos notificados). Já em relação aos casos confirmados, enquanto em 2017, até o momento, somente nove casos de dengue foram confirmados no estado, no mesmo período, em 2016, haviam sido confirmados 4.365 casos.

De acordo com a coordenadora do Programa de Combate à Dengue de Xanxerê, Janete Rodrigues, ainda não houveram casos confirmados de dengue, zika ou chikungunya no município e não há nenhum caso suspeito no momento, apenas o número de focos que já chega a quase 700.

- Nós continuamos fazendo nosso monitoramento de rotina, visitando os imóveis, orientando os moradores. Mesmo com o grande número de focos do mosquito, nós percebemos esse ano que as pessoas estão mais conscientes e cuidadosas e estão atendendo o nosso pedido quando é necessário tomar alguma providência com relação a cobrir caixas d’água, recolher lixo e evitar o acúmulo de água para proliferação do mosquito. Ainda não está cem por cento, mas as pessoas estão dando mais atenção à situação – comenta Janete.

Chikungunya
De 1º de janeiro a 15 de julho de 2017 foram notificados 236 casos de febre de chikungunya em Santa Catarina. Desses, 180 (76%) foram descartados e 32 (14%) permanecem como suspeitos. Até o momento, 23 casos confirmados são importados (transmissão fora do estado) e um caso permanece em investigação de Local Provável de Infecção (LPI).

Zika
Já com relação ao zika vírus, no período foram notificados 60 casos em Santa Catarina, sendo que 45 casos (75%) foram descartados, 8 (13%) permanecem em investigação e 6 (10%) estão inconclusivos. Até o momento, um caso importado foi confirmado (transmissão fora do estado), com residência no município de Florianópolis.

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti
- Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
- Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
- Mantenha lixeiras tampadas;
- Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
- Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
- Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;
- Mantenha ralos fechados e desentupidos;
- Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
- Retire a água acumulada em lajes;
- Dê descarga, no mínimo, uma vez por semana em banheiros pouco usados;
- Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
- Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue. Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
- Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento.

(Com informações da DIVE/SC)


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Xanxerê.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar